Correio dos Campos

Com casa cheia, Orquestra Sinfônica emociona o público

A apresentação do último domingo encantou o público presente
7 de Maio de 2019 às 09:36

COM ASSESSORIAS – A música pode levar quem ouve para viajar pelo tempo. Foi assim que Ademir Mazer se sentiu ao acompanhar o concerto deste domingo, 05, da Orquestra Sinfônica Cidade de Ponta Grossa e do quarteto argentino Tango Jazz Quartet. Para ele, foi como voltar aos anos 1950 em Nova York e fugir da rotina musical que ele está habituado, pois as peças misturaram o erudito, o jazz e o aclamado tango argentino. “Muito criativa essa combinação de jazz e tango, gostei demais. A gente escuta no rádio, mas assistir ao vivo é uma experiência única porque tem outra intensidade”, afirma Ademir.

Fernando Durante, presidente da Fundação Municipal de Cultura, ressaltou que o concerto foi um marco dentro da história da música em Ponta Grossa, reunindo o talento dos músicos da orquestra com o quarteto que já passou por vários países. “O Cine-Teatro Ópera estava lotado, mostrando que a nossa orquestra leva grandes plateias aonde se apresenta. Além disso, importante destacar a qualidade do espetáculo apresentado, que foi aplaudido várias vezes em pé”, ressalta.

O evento foi uma parceria da Prefeitura de Ponta Grossa, por meio da Fundação Municipal de Cultura, com o Consulado de la Republica Argentina en Curitiba. O tango é uma música e dança do século XIX, derivando de outros estilos como a habanera e a milonga. Como música, surgiu embalando passos improvisados. No início, o tango era popular entre bares, cafés e prostíbulo, atingindo a classe menos favorecida do país. A partir dos anos 1930, o ritmo invadiu os salões de dança e na década de 1940 as letras passaram a serem mais líricas e melódicas, resultando em músicas ultrarromânticas.

Para maio, a Orquestra Sinfônica de Ponta Grossa já está se preparando para mais um concerto inédito. No dia 22, às 20h, também no Cine-Teatro Ópera, os músicos da OSPG, sob regência de Rafael Rauski, apresentam um concerto só com obras de compositores ponta-grossenses. A apresentação marca a abertura da 33ª Semana da Cultura Bruno e Maria Enei.